16 de junho de 2016

Migas de Espinafres com Lascas de Peixe & Camarão

Yum
Durante muitos anos vivi com a certeza de que não gostava de migas e açorda. Para mim era claro como água. Até o simples olhar para os pratos me causava algum incómodo. Não posso dizer com certeza se a minha opinião era fundada no facto de alguma vez ter provado e de não ter gostado, ou se no simples facto de ter incutido a ideia de não gostar e pronto. Acho que todos temos aquela receita ou ingrediente que achamos que não gostamos, sem nunca sequer ter provado, mas vivemos com essa certeza como se tivéssemos provado mil vezes, e mil vezes não tivéssemos gostado.
Se provei ou não, não sei, mas certeza essa sim, que durante anos não comi açorda ou migas.
Até um dia.
Não sei qual.
Comi, e adorei.
Se foi o palato que mudou e amadureceu, não sei. Talvez.
O certo é que agora adoro!

Estas migas são especiais. A conjugação dos espinafres com o camarão é deveras maravilhosa e surpreendeu-me bastante. Uma receita para surpreender e agradar.




Ingredientes (4 pessoas):
4 lombos de Pescada
2 c. sobremesa de Pasta de Alho q.b.
1 Limão
8 Camarões grandes
250g de Pão sem côdea
170g de Folhas de Espinafre Baby
1 pedaço com cerca de 2cm de Raiz de Gengibre
3 c. sopa de Rum
1 Caldo Knorr Natura Peixe
6 dentes de Alho
300 a 350ml Água (depende do tipo de pão que usar)
Margarina q.b.
Sal e Pimenta recém-moída q.b.


Preparação:
Salpique os lombos de peixe com uma pitada de sal e pimenta e barre-os levemente com uma colher de sobremesa de pasta de alho, e regue com o sumo do limão. Deixe a marinar.
Tire as cabeças e as cascas dos camarões e reserve-as. Coloque os camarões numa taça. Descasque o pedaço de gengibre, rale-o e esprema o sumo para cima dos camarões descascados. Junte uma colher de sobremesa de pasta de alho e o rum, envolva e deixe marinar.
Numa frigideira derreta um pouco de margarina, junte as cabeças e as cascas dos camarões e deixe fritar, mexendo de vez em quando. Regue com a água, adicione o caldo Knorr e deixe ferver por cerca de 10 a 15 minutos. Retire do lume, coloque as cascas e o líquido num recipiente e triture com a varinha mágica. Coe o caldo através de um passador de rede para cima do miolo do pão, previamente desfeito em pedaços. Deixe o pão absorver o caldo.
Numa frigideira larga, aqueça cerca de 40g de margarina, e junte o pão e deixe cozinhar até as migas começarem a secar. Junte as folhas de espinafre e mexa até estarem bem misturadas e ligeiramente moles. Reserve.
Ligue o forno a 160ºC.
Deite um pouco de margarina noutra frigideira e deixe aquecer bem. Escorra os lombos de pescada e aloure-os dos dois lados, sobre lume medio a forte. Reduza o lume, tape, e deixe cozinhar por mais uns 5 minutos.
Noutra frigideira aqueça um pouco de margarina e frite os dentes de alho esborrachados com o miolo de camarão bem escorrido. Reserve o camarão.
Com a ajuda de um aro metálico enforme as migas de espinafres e o peixe desfeito em lascas, em camadas alternadas, sobre um tabuleiro forrado com papel vegetal.
Retire o aro e repita a operação mais 3 vezes. Decore com os camarões e leve ao forno durante 10 minutos.
Deite o líquido da marinada dos camarões na frigideira onde os fritou e deixe ferver um pouco.
Coloque os discos de migas nos pratos de servir com a ajuda de uma espátula e regue com o molho. Sirva de imediato.


Bom Apetite!

9 comentários:

  1. Tanto a minha mãe - mais ela - como o meu pai, e a minha irmã com eles, adoravam migas e açorda (mãe e irmã ainda adoram) e por isso era coisa muito confeccionada lá por casa. Eu detestava mas era obrigada a comer, até ao dia em que me vomitei toda em cima do prato, graças a deus nunca mais tive de comer, ainda hoje em dia só o cheiro me dá a volta. É coisa que não consigo mesmo, tal como favas ou aquelas sopas de beldroegas ou coentros alentejanas. POr causa disso, quando me mudei para Manchester achava que não ia gostar de pudim de pão, até ao dia em que me fizeram um, e eu (muito bezana) cheia de vergonha de dizer que não queria, provei... AMEI! Já pensei até em fazer um pudim de pão salgado e tudo...
    https://bloglairdutemps.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Uau... Está excelente. Até cresce água na boca com tão bom aspecto.
    Adorei!!! :)
    Bjinhos!!

    Bimby & Sabores da Vida

    ResponderEliminar
  3. Que prato elegantíssimo!! Ficou com um aspeto divinal! Parabéns!

    Beijinhos

    De aprendiz a chef

    ResponderEliminar
  4. Acontece imenso, eu nunca gostei de grelos salteados e um dia lembrei-me que era capaz de gostar do sabor... Agora adoro :) Migas e açordas não costumo comer, não porque não gosto mas porque não é hábito. Vendo essas migas tão bem-parecidas fiquei com vontade de replicar a receita :)

    ResponderEliminar
  5. Que receita fantástica, costumo ir ao restaurante da Noélia só para comer migas e estas de certeza que também me vão encher as medidas :D

    ResponderEliminar
  6. Queries Marta,
    Eu em miuda não gostava nada de acorda. Não sei se porque os meus pais faziam sempre a mesma acorda de bacalhau sem muita graça...
    Migas, provei já mais tarde e sempre adorei e a açorda, depois de provar uma deliciosa de marisco e outra deliciosa de bacalhau, mudei completamente de opinião e adoro. Acho que é a maturidade e a abertura a novos sabores e experiências novas ou renovadas, que nos faz dar segunda oportunidade a sabores e texturas que antes não nos agradavam...
    Amei esta sugestão.
    Um beijinho e bom fim de semana,
    Lia

    ResponderEliminar
  7. Marta, estou como tu e a Lia, cresci a detestar accrda, (que acho que são migas no Alentejo), ainda me lembro do sabor do pão ensopado, e do alho que não suporto. Gosto das migas secas, ou migas de batata, descobri um dia que me forcei a experimentar. Será que foi também da idade?
    Um beijinho e bom fim de semana! Receitinhas com espinafres a sair na padaria :)

    ResponderEliminar
  8. Olá, tem um aspecto tão bom!...
    Poderia me dizer que tipo de pão usou na receita?
    Obrigada*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Flávia,
      eu usei pão de Rio Maior. Aconselho que use pão deste género, não tendo de ser exatamente o de Rio Maior, mas um pão caseiro, robusto.
      Beijinhos
      Marta

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...