19 de abril de 2017

Bakewell Tart

Yum

Amêndoas de Páscoa é algo que vai sendo cada vez mais raro na minha casa. É com agrado que digo que quase ninguém as aprecia cá em casa, e verdade que não faz falta nenhuma aquela quantidade de açúcar ou chocolate, ou o quer que seja de que as amêndoas são feitas agora. Desse tipo de doce, o único que ainda consigo comer são os confeitos de pinhão, talvez por serem mais pequenos, não sei.  
Mas não gostar de amêndoas de Páscoa, não quer dizer que não goste de amêndoa, o fruto. Pelo contrário. Deve ser dos frutos secos que mais me agrada, a seguir ao pinhão. E talvez por isso, fiquei logo apaixonada pelo desafio deste mês do nosso Sweet World, a Bakewell Tart. Uma sobremesa bem recheada de amêndoa, ótima para celebrar a Páscoa, sobre a qual podem ficar mais alguns pormenores históricos no blog da Susaninha. Este foi, aliás, o doce que levei à minha mesa. Aliado à vontade de fazer algo de diferente dos habituais folares ou pão-de-ló, esta tarte tornou-se a sobremesa perfeita para a celebração.
Foi assim mais um desafio superado, no qual não senti grandes dificuldades nem na execução nem na parte da degustação. É muito fácil apaixonarmo-nos por ela. Muito mesmo. Talvez demasiado 😊

A receita que trago é a que foi partilhada pela Susana, à qual adaptei o doce usado para pincelar a tarte e a decoração: usei mel em vez de doce de alperce, e decorei com flores e folhas feitas com as sobras da massa quebrada.

Espero que gostem Lia e Susana, e parabéns por mais um Sweet Worls fabuloso!






Ingredientes Massa Quebrada:
125g de Manteiga sem Sal, à temperatura ambiente
250g de Farinha de Trigo
80g de Açúcar
1 Ovo médio

Preparação:
Coloque a manteiga e o açúcar num processador/triturador e processe até estar envolvido. Adicione o ovo e triture mais uns 30 segundos. Junte a farinha e triture até a massa estar uniforme (não processar demasiado para não ficar demasiado dura). Se a massa estiver demasiado seca adicione uma colher de água fria. Amasse levemente sobre uma superfície ligeiramente enfarinhada e dê-lhe a forma de disco. Embrulhe em película aderente e leve ao frigorífico por 30 minutos.
Pré-aqueça o forno a 190ºC.
Retire a massa do frio e estique sobre uma folha de papel vegetal até ficar com a espessura de uma moeda de euro. Forre uma tarteira com 23-25 cm de diâmetro com a massa (use a folha de papel vegetal) e apare a massa ao nível dos bordos da tarteira. Leve ao frigorífico cerca de 30 minutos, enquanto o forno aquece.
Entretanto estenda as sobras da massa e, com cortadores de massa em forma de folhas e flores, corte várias peças.  Leve ao frigorífico.

Cobra a massa da tarteira com papel de alumínio e coloque feijões ou pesos próprios por cima. Leve a massa ao forno, cerca de 15-20 minutos até ficar firme e ligeiramente dourada nos bordos.
Retire do forno, remova o papel de alumínio e os feijões e deixe arrefecer um pouco.



Ingredientes Recheio:
250g de Manteiga sem Sal, à temperatura ambiente
200g de Açúcar
3 Ovos grandes, ligeiramente batidos
1 c. chá de Extracto de Baunilha
250g de Farinha de Amêndoa (Amêndoa Ralada)
3 c. sopa de Farinha de Trigo
Raspa de Limão
3-4 c. sopa de Doce de Framboesa, de preferência caseiro
2 c. sopa de Mel, morno

Preparação Recheio:
Bata a manteiga com o açúcar até obter um preparado leve e fofo. Incorpore gradualmente os ovos e o extrato de baunilha, e depois acrescente a amêndoa, a raspa de limão e a farinha peneirada.
Distribua uniformemente uma camada de doce de framboesa pela base da tarte.
Espalhe por cima a mistura de amêndoa e alise bem a superfície.
Distribua as flores e folhas de massa quebrada pelo topo do recheio - coloquei também um pouco de doce de framboesa nos “olhos” das flores.
Leve ao forno por cerca de 35-40 minutos, até a massa estar firme e dourada.
Retire do forno e ainda quente pincele a superfície com o mel previamente amornado para ficar mais líquido e facilitar a tarefa de pincelar a tarte.

Deixe arrefecer e depois sirva.


2 comentários:

  1. Não sou grande fã de amendoas, seja de que forma for, a minha perdição são os filhas da mãe dos cajus!! Esta tarte devia fazer as delicias do meu marido, ainda tenho de lhe mostrar uma receita a ver se ele quer experimentar eheheheh.
    https://bloglairdutemps.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Eu também nunca compro amêndoas, nem para comer nem para oferecer. Cá em casa também ninguém aprecia particularmente. Mas gosto dos confeitos de funcho Açorianos, faz lembrar os tempos de miúda! Para oferecer à criançada opto por fazer doces em casa, ora bolachinhas, ora folares em forma de coelho, ora bolinhos, etc. Para os adultos faço sempre ninhos, nesta altura já toda a gente está farta de folar e por isso acho que os ninhos são mais apreciados! Este ano fiz folares, só pela tradição, e acabei por oferecer aos meus pais e aos meus sogros. Acho que no próximo ano vou fazer folar de enchidos pois não é tradicional por aqui, pode ser que seja apreciado! Mas para compensar o facto de eu nunca oferecer amêndoas, este ano recebemos um carregamento delas e de ovos também! Já ficam guardadas para o ano para aplicar nos doces! Bem, mas falado da maravilha que hoje nos trazes! Eu nem sei bem que dizer! As fotos estão do mais magnífico que há e a tarte está linda de morrer. Essa fatia faz-me salivar compulsivamente! E logo agora que não posso descarrilar pois tenho de recuperar dos excessos das festas! Adoro a amêndoa em si, e adoro tartes de amêndoa! Esta é uma versão que já conheço e é divinal! Beijinhos

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...