25 de novembro de 2015

Romã

Yum
A romã é uma fruta exótica e milenar.
Existem registros de restos da fruta em túmulos egípcios com mais de quatro milénios. É usada desde a antiguidade por diversas culturas.
A romã possui uma importância histórica grande, uma vez que faz parte do contexto cultural de muitos povos.
Para os gregos, a fruta era consagrada a Deusa do amor e da beleza, Afrodite. É uma das plantas, que na tradição israelita, que por ela Deus abençoou a terra santa. E ainda, para os judeus, a fruta simbolizava a esperança de que o ano novo que se iniciava seria melhor do que o que se passara. Em Roma, era um símbolo de ordem e riqueza. Na cultura libanesa, não pode faltar na mesa do Natal, e tem a simbologia de união de todos os homens e mulheres do mundo por causa de suas sementes muito juntas.



Com um sabor acidulado único, a romã é um delicioso fruto que possui diversas propriedades terapêuticas.

Como em muitas plantas e frutos, a acção sinérgica dos vários constituintes da romã é superior à de cada um deles isolado.
No geral, este fruto possui substâncias antioxidantes e anti-inflamatórias que ajudam no tratamento de doenças.

É rica em ácidos fenólicos e também em flavonóides, compostos antioxidantes que lhe dão a cor avermelhada.
As suas propriedades antioxidantes fazem deste fruto um poderoso protector contra o cancro e outras doenças.
A romã é rica em água, e muito pobre em proteínas e gorduras. Contém ainda fibras alimentares, vitaminas C e alguns minerais como o ferro, importante no transporte do oxigénio para as células e na defesa do sistema imunitário. A romã tem antioxidantes ainda mais poderosos do que o tomate e o vinho tinto para a prevenção de doenças cardíacas.

Podemos encontrar dois tipos de romã, a vermelha e a amarela.
Analisando-se visualmente a fruta, percebe-se na vermelha menor quantidade de sementes, casca mais fina e o mesocarpo (parte carnosa entre a casca e as sementes) maior. Já a amarela tem maior quantidade de sementes, apresenta casca mais grossa e mesocarpo mais fino. O formato dos lóculos (“bolsas”, onde estão armazenadas as sementes) também é diferente. No sabor, parece não haver diferença.




A romã pode ser consumida de várias maneiras.
Pode aproveitar a romã por si só, descascando-a e retirando os bagos, para os comer ao natural, ou para os mais gulosos, polvilhados com açúcar…
Pode salpicar bagos de romã sobre vários alimentos. Junte-os aos seus cereais da manhã, ou a iogurtes, ou misture-os num sumo de laranja ou maçã.
Adicione-os a sopas. Podem ser o toque certo para uma sopa comum, elevando-a a outro nível.
Junte-os a saladas. Darão um gosto diferente a diversas saladas, das de fruta até às verdes tradicionais.
Use os bagos em bebidas. Eles podem dar um sabor único e penetrante a uma série de smoothies, bebidas alcoólicas e sumos. Tudo o que é preciso fazer é colocar os bagos num liquidificador até que fiquem liquefeitos e, em seguida, filtrar o sumo.
Use-os para tornar as sobremesas ainda mais interessantes e bonitas! Decore os seus bolos, os pudins, etc.

Eu pessoalmente adoro este fruto! Adoro a cor vibrante, o sabor, a textura. Só não gosto mesmo é de as descascar. Embora haja umas quantas técnicas e dicas neste campo, continuo a preferir a forma mais tradicional para o fazer.

Posto isto, não resisto, a partilhar convosco novamente a receita de geleia de romã, que é uma delícia.




Ingredientes:
500ml de Sumo Natural de Romã (4 a 5 Romãs grandes)
250g de Açúcar Gelificante

Notas: A quantidade de açúcar que as marcas usualmente recomendam é de 2:1, mas eu costumo cortar sempre na quantidade, em cerca de metade. Desta forma a geleia leva um pouco mais de tempo a atingir o ponto desejado, e rende um pouco menos, mas eu prefiro adicionar pouco açúcar.
Já se encontra açúcar gelificante com alguma facilidade. Quando fiz a geleia pela primeira vez só encontrei este tipo de açúcar nos supermercados Aldi, mas agora também já existe da marca Sidul à venda em quase todas as superfícies.

Preparação:
Corte as romãs ao meio e esprema-as como se de laranjas se tratasse.
Coe o sumo espremido num passador de pano.
Num tachinho, junte o sumo de romã e o açúcar gelificante e leve ao lume. Quando começar a ferver conte cerca de 6/7 minutos.
A esta altura o líquido deve ter reduzido um pouco, mantendo ainda uma aparência bastante líquida, mas quando arrefecer vai tornar-se mais espesso.



Outras sugestões para usar romã:



Fontes:

6 comentários:

  1. Adoro os baguinhos da romã, são perfeitos para decorações de bolos e afins! Geleia de romã nunca fiz mas está na hora de experimentar! Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois são!
      Então está mesmo na hora! É maravilhosa!
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Adoro romã e esta geleia ficou com uma cor linda, bem gulosa :)

    Gulosoqb

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É deliciosa esta geleia Carla, se tiveres oportunidade de fazer vais gostar, tenho a certeza :)
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Adoro romã, mas este ano ainda não comprei! :)
    Tenho de comprar.. Geleia também nunca provei, mas tem uma cor tão linda!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu tive a sorte de me oferecerem umas quantas, um vizinho simpático e generoso :)
      Fica com uma cor linda e um sabor delicioso. Se gostas de romã, vais gostar da geleia de certeza.
      Beijinhos
      Marta

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...