20 de setembro de 2016

Pavlova de Pera [Pear Pavlova]

Yum
Esta é a minha estreia no universo das pavlovas. E confesso que estou muito orgulhosa dela.
A tarefa de a trazer inteira até ao cenário das fotos foi extremamente desafiante. Tirar a folha de papel vegetal de debaixo, sem que se partisse toda em pedacinhos, tal qual fosse cristal, foi perfeitamente esgotante! Jamais imaginei que fosse tão quebradiça e tão sensível!
Mas aqui está ela, e para primeira acho que ficou bonita, não perfeita, mas bonita. Falta afinar umas coisinhas pelo meio, mas nada de muito estrutural.


Esta é uma das sobremesas que tem ficado “esquecida”, por razões muito pessoais… sempre tive a sensação que seria uma sobremesa que não me cativaria… e se anteriormente era só uma ideia, agora já posso afirmar com segurança, que não, não me arrebata. Mas cá em casa, tirando eu o meu esposo, e o meu pai, todos os outros “gulosos” lamberam dedos e colheres até à última migalhinha.
Percebo por que arrebata tantos corações, mas não é o meu…
Já em relação às peras, fiquei completamente apaixonada! Vibrantes e deliciosas, com aquele travo meio-ácido no fim que me arrebata por completo.
Aconselho, aos mais gulosos e aos menos, a acompanhar a pavlova com a calda, porque é sem dúvida o complemento perfeito.

Aos apaixonados por esta sobremesa posso garantir que não ficarão desiludidos com esta versão.



Ingredientes:
Pavlova
Receita do blog Bocadinhos de Açúcar
6 Claras 
220 g de Açúcar Refinado fino
1 c. de sobremesa de Vinagre Balsâmico
1 c. de sopa mal cheia de Amido de Milho (Farinha Maizena©)
200 ml de Natas (eu uso Agros)
1 c. sopa (mal cheia) de Açúcar em Pó
Peras Escalfadas
750ml de Sumo de Frutos Vermelhos (Framboesa, ou Romã, ou de Uva, por exemplo)
4 Peras, maduras mas firmes
4 c. sopa de Açúcar Gelificante (para compotas)




Preparação:
Peras Escalfadas
Coloque o sumo numa panela pequena, mas alta, e leve ao lume até levantar fervura.
Descasque as peras – que deverão ser todas sensivelmente do mesmo tamanho, mas deixe os caules. Coloque-as no sumo, certificando-se que as peras ficam completamente submersas. Reduza um pouco o lume, e tape as peras com um pouco de papel vegetal cortado ao tamanho do interior da panela, e com um pequeno buraco no centro do papel. Mantenha as peras a cozer, em lume brando durante cerca de 20 minutos, ou até estejam tenras, mas tendo o cuidado de não deixar cozer em demasia. (espete um espeto de madeira no centro de uma pera, e se não oferecer resistência estará cozida)
Depois de cozidas, retire-as com cuidado com uma escumadeira e reserve, tapadas.
Adicione o açúcar gelificante ao sumo e deixe reduzir, em lume brando, para cerca de metade, até obter uma calda ligeiramente espessa. Deixe arrefecer por completo e depois reserve junto com as peras.
Pavlova
Aquecer o forno a 170ºC.
Bater as claras e quando começarem a formar picos suaves, adicione uma colher de sopa de açúcar de cada vez, batendo sem parar. Bata até ficarem brilhantes, firmes e sem grânulos de açúcar.
Junte o amido peneirado, continuando a bater até incorporar.
De seguida, acrescente o vinagre e bata mais um pouco.
Forre um tabuleiro de ir ao forno com papel vegetal. Coloque o merengue sobre o papel vegetal dando-lhe uma forma circular. Abata a parte superior ligeiramente para facilitar a colocação das natas e da fruta.
Coloque a pavlova no forno e baixe a temperatura para os 120ºC, deixando cozinhar por 2h. Deixe que arrefeça completamente no forno (segui a dica da Sílvia e deixei de um dia para o outro).
Cerca de 2 horas antes de servir, bata as natas em chantilly, juntando o açúcar em pó. Espalhe o chantilly sobre o merengue, e reserve no frio até ao momento de servir.
Quando for para servir decore a pavlova com as peras escalfadas, ligeiramente escorridas da calda, e com algumas folhas de pera ou hortelã. Regue com um pouco de calda.

Sirva bem fresca, e com a restante calda a acompanhar.

7 comentários:

  1. Está linda! Quem diria que é a primeira?! Eu gosto mas também não me arrebata por aí além! Mas é uma sobremesa delicada, de se fazer e de se comer! A tua está muito bonita! Todo o cenário envolvente também! Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Ao contrário de ti eu adoro pavlovas! A tua ficou linda.
    Bjs

    Lua

    ResponderEliminar
  3. Também não gosto de pavlovas, não gosto de nada que envolva merengue ou suspiro, a não ser tarte de limão merengada. Mas adoro peras bêbadas e á primeira vista pensei que estas eram peras dessas, mas afinal nem por isso looool. As fotos estão para lá de lindas, divinais, o styling está perfeito, a luz então nem se fala!!
    https://bloglairdutemps.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Marta está fantástica. Parabéns pela tua primeira pavlova. Ficou simplesmente deliciosa. Uma combinação diferente mas irresistível.
    Bjinhos!!

    Bimby & Sabores da vida

    ResponderEliminar
  5. Está fabulosa. Tenho que experimentar esta receita. As minhas pavlovas nunca ficam assim branquinhas. Quais as resistências do forno que usas? E com ou sem ventilação?
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Carla,
      olha o meu forno é bem velhinho.. não tem ventilação, e tem duas resistências, uma em cima e outra em baixo...
      Beijocas grandes

      Eliminar
  6. Haha, realmente as pavlovas são um vidrinho de cheiro, imagino que a tarefa não tenha sido fácil :P Eu confesso que às vezes para tirar fotografias arranco só parte do papel vegetal de forma a não se ver e deixo o resto para tirar quando estiver a cortar às fatias, não tenho a tua coragem :P
    Essa ficou mesmo linda, nunca experimentei nenhuma de pêra :)

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...