26 de abril de 2015

Apple-Coconut Family Cake

O bolo perfeito para os dias como hoje.
Desagradável lá fora, chuva, vento, e no interior de casa, o aconchego do forno ligado e o aroma a canela no ar. Perfeito.
Um bolo muito fofo, com a junção sempre perfeita da canela e da maçã, desta vez com o toque especial do coco.
Mais uma receita aprovada, de Dorie Greenspan, em mais uma participação no projecto Dorie às Sextas.




Apple-coconut family cake - receita retirada do livro Baking de Dorie Greenspan
(tradução de Susana Figueiredo)
Nota: As fotos são de 1/2 receita aqui apresentada

Ingredientes:
1 Chávena + 2 c. de sopa de Farinha de Trigo
2 c. chá de Fermento em pó
1/4 c. chá de Bicarbonato de Sódio
1/4 c. chá de Canela
1/4 c. chá de Sal
3 Maçãs, descascadas e descaroçadas
2 Ovos, grandes e à temperatura ambiente
1/2 chávena + 2 c. sopa de Açúcar
1/2 chávena de Iogurte Natural
6 c. sopa de um óleo sem sabor (canola ou cártamo, por exemplo)
2 c. chá de Extrato de Baunilha
1 chávena Coco ralado
1/2 chávena de geleia de maçã (eu não usei.)





Preparação:
Pré-aquecer o forno a 180ºC.
Untar uma forma de mola com 23cm de diâmetro e polvilhá-la com as 2 colheres de sopa de farinha, e reservar.
Misturar bem a farinha, o fermento, o bicarbonato, a canela e o sal.
Cortar duas maçãs em cubos pequenos e uma em fatias finas, e reservar, cobrindo com película aderente.

Numa taça grande, bater os ovos com o açúcar durante um minuto. Juntar o iogurte, o óleo e a baunilha e bater durante mais um minuto.

Envolver a mistura de farinha com uma espátula. Juntar a maçã em cubos e o coco, envolvendo bem, e deitar a massa na forma, alisando-a bem. Decorar com as fatias de maçã e polvilhar com o açúcar.
Levar ao forno durante 45-50 minutos ou até o topo estar caramelizado e uma faca inserida no centro sair seca. 

Retirar o forno e deixar arrefecer durante 20 minutos na forma.




Entretanto, preparar a cobertura, aquecendo a geleia com um pouco de água até ficar líquida. 

Desenformar o bolo para um prato de servir e cobri-lo com a geleia.



Outras Participações:
Susana Figueiredo: Tempo, para que te quero?
Bárbara Clara Brito: Receitas e Truques da Clarinha

23 de abril de 2015

Salada Morna de Rúcula com Peru e Clementina

Gosto de comer saladas todo o ano, mas a verdade é que é nesta altura do ano que melhor sabem. Certamente não estarei sozinha nesta opinião.
O tempo vai aquecendo, e as refeições vão-se tornando mais leves e frescas.
Nesta salada ainda quis que houvesse um ingrediente morno, porque os dias ainda vão pedindo um toque aconchegante.



Ingredientes (2 pessoas):
50g de Rúcula
½ chávena de chá de Arroz Basmati (ou outro qualquer), cozido
2 Bifes de Peru
150g de Creme Vegetal de Soja para culinária
2 Clementinas, separadas em gomos, sem pele
1 c. sopa de Azeite
Sal e Pimenta q.b.



Preparação:
Numa frigideira de fundo grosso, e de preferência antiaderente, aqueça o azeite e junte os bifes de peru. Deixe cozinhar, e quando estiverem prontos, retire da frigideira e coloque em cima de uma tábua de madeira, deixando-os repousar um pouco.
Deite o creme vegetal de soja na frigideira, e com a ajuda de uma colher de pau, raspe o fundo da frigideira para libertar os sucos que ficaram da carne. Envolva bem e deixe cozinhar durante um pouco, em lume brando, só até o creme engrossar um pouco.
Entretanto corte os bifes de peru em pedaços pequenos, e depois junte ao creme, juntamente com o arroz basmati. Envolva bem e retire do lume.
Numa travessa, ou prato de servir, coloque a rúcula e por cima disponha o peru. Decore com os gomos de tangerina, e sirva.

19 de abril de 2015

Bolo de Limão

Gosto muito deste tipo de bolos. Frescos, aromáticos, húmidos, com uma textura fofa e leve. Um bolo fresco e cheio de sabor.
Bom para os dias mais amenos e solarengos, que espero nos brindem de novo, em breve.



Ingredientes Bolo(14 fatias):
4 Ovos
1 pitada de Sal
150g de Açúcar
80g de Farinha de Trigo
80g de Farinha Maizena (Amido de Milho)
2 c. chá Fermento em pó
50g de Manteiga, derretida e morna
6 c. sopa de sumo de Laranja
9 c. sopa de sumo de Limão
Ingredientes Recheio e Cobertura:
400ml de Natas, frias
2 saquetas de Açúcar Baunilhado (cada 7,5g)
4 Folhas de Gelatina, incolor
6 c. sopa de Açúcar em pó
1 Limão, raspa




Preparação:
Pré-aqueça o forno a 190ºC.
Forre a base de uma forma de 26cm com papel vegetal, e unte as laterais com manteiga.
Separe as claras das gemas. Bata as claras em castelo com uma pitada de sal e depois misture metade do açúcar, e bata até que o açúcar esteja dissolvido, e as claras bem firmes e brilhantes. Reserve no frigorífico.
Bata as gemas com a outra metade do açúcar, até obter uma gemada bem forte, e um creme amarelo claro (pelo menos uns 10 a 15 minutos).
Misture a farinha de trigo com a farinha Maizena e o fermento, e peneire por cima da gemada. Envolva. De seguida acrescente a manteiga derretida e ainda morna, e envolva de novo.
Envolva delicadamente metade das claras batidas em castelo, e só quando estas estiverem bem misturadas é que envolve, delicadamente, as restantes claras.
Deite a massa na forma e leve ao forno durante cerca de 25 minutos, ou até que esteja cozido. (Verifique se o bolo está cozido, espetando um palito no centro, se sair limpo está pronto.) Não deixe cozer demasiado para que a massa não fique muito seca.
Retire do forno, e deixe repousar um pouco. De seguida desenforme, e deixe arrefecer por completo sobre uma rede ou grade.
Entretanto prepare o recheio:
Coloque as folhas de gelatina a amolecer num pouco e água fria.
Bata as natas com o açúcar baunilhado, até estarem firmes.
Escorra bem as folhas de gelatina, e derreta-as em banho-maria.
Junte a raspa de limão, o açúcar em pó e a gelatina ás natas e bata mais um pouco. Reserve no frigorífico até usar.

Corte a massa do bolo na horizontal, em dois ou três discos, conforme preferir.
Junte os dois sumos, o de laranja e o de limão e pincele os discos do bolo com os sumos.

Coloque um dos discos de bolo no prato de servir e barre com as natas (1/3 no caso de ter 2 discos, ou ¼ das natas no caso de ter 3). Cubra com outro disco.
Barre todo o bolo com as restantes natas, e leve ao frigorífico pelo menos 1 hora antes de servir.




Receita adaptada de: Bolo de Limão – O prazer da Doçaria, Página 74



Nota: As imagens são de um bolo de ½ receita.

12 de abril de 2015

Uma Massa Temperamental(mente) Divinal

Hoje foi dia de provar mais uma das receitas de Dorie Greenspan, relacionado com o projecto Dorie às Sextas.
E que receita!

Confesso que se não fosse motivada pelo facto de ser uma receita do projecto, esta seria uma daquelas receitas que eu leria e passaria à frente. Mas fortemente motivada pelo facto de ter sido uma das pessoas que, também, tinha apoiado a ideia desta quinzena haver uma receita de massas levedas, senti quase que uma obrigação em fazê-la.

Quando acabei de ler a receita pela primeira vez, pensei claramente que era uma massa bastante díficil de fazer, daquelas que ou sai muito bem, ou é um daqueles falhanços monumentais. Temperamental como foi apelidada no grupo. Sem dúvida.

Se por um lado temperamental é uma palavra que a define na perfeição, por outro é divinal. Que massa absolutamente deliciosa.

Parece uma massa difícil de fazer, mas na verdade não é. É morosa, sim, mas relativamente fácil. E a recompensa de a fazer é muito boa. Não só o prazer de - Sim eu consegui!, como o prazer de a saborear.

Fiz algumas alterações, mas somente na cobertura, que foi alvo de comentários no grupo, por ser excessivamente doce. Como não aprecio sobremesas muito doces, decidi cortar alguns ingredientes, e acho que ficou com a dose e ingredientes certos.

Uma receita que todos gostaram e elogiaram. 
Uma receita que espero que tenham coragem para fazer!




Pecan honey sticky buns - receita retirada do livro Baking pag.51 de Dorie Greenspan
(tradução de Susana Figueiredo)

Ingredientes Cobertura:
1 chávena rasa de Açúcar Amarelo

120g Manteiga sem sal, cortada em 4 pedaços
1/4 chávena de Mel
1 1/2 chávenas de Pecans (inteiras ou em pedaços)

Ingredientes Recheio:

1/4 chávena de Açúcar Branco
3 c. sopa rasas de Açúcar Amarelo
1 c. Sopa Canela moída
45g Manteiga sem sal, à temperatura ambiente

Ingredientes Buns:

1/2 receita de Golden Brioche Loaves (ver em baixo), refrigerada e pronta a moldar
(a Dorie sugere que se faça a receita na totalidade e que se corte metade da massa após refrigerar durante a noite)


Untar generosamente um tabuleiro ou pirex de 23x33 cm
- Eu untei ligeiramente o tabuleiro, e cobri com um folha de papel vegetal, e coloquei os buns.




Preparação Cobertura:

Num tacho com fundo pesado, ferver o açúcar, a manteiga e o mel em lume médio-baixo, mexendo frequentemente para derreter o açúcar. Deitar no pirex já untado, espalhando o melhor possível com uma espátula. Polvilhar com as pecans.
- Eu não fiz a cobertura assim. Fiz a restante receita, passo por passo, sem alterações de quantidades ou procedimentos, mas coloquei só o mel e as pecans, por cima dos buns, já na fase em que estão prontos a ir ao forno.


Preparação Recheio:

Misturar os açúcares e a canela numa taça. Noutra taça, trabalhar a manteiga com uma espátula até estar suave, macia e fácil de espalhar.

Preparação Buns:
Numa superfície enfarinhada, esticar a massa fria num quadrado com 40 cm de lado. Com os dedos ou um pincel, espalhar a manteiga do recheio sobre a massa. Polvilhar com a mistura de açúcar e canela, deixando uma faixa vazia com cerca de 2,5 cm no extremo mais longínquo da massa. Começando pelo lado mais próximo, enrolar a massa como se fosse um cilindro, mantendo-a o mais apertada possível (neste ponto, pode ser congelada durante 2 meses). Usando uma faca, cortar um pouco das extremidades do rolo para acertar e cortar o tronco em pedaços de 2,5 cm, o que deverá render entre 15 e 16 pães. Dispor no tabuleiro com um dos lados cortados para baixo e deixando espaço entre eles.
Cobrir com papel vegetal e deixar repousar num sítio morno até massa ter duplicado de volume (cerca de 1h45m). Os pães deverão ficar grandes e a tocar uns nos outros.

Centrar uma grade no forno e pré-aquecê-lo a 190ºC. Remover o papel vegetal e levar ao forno por 30 minutos ou até estarem grandes e bem dourados. A cobertura estará a borbulhar por todo o lado. Retirar do forno e desenformar poucos minutos depois, com cuidado pois a cobertura irá estar muito quente.



Golden Brioche Loaves ( fazer a receita completa e usar metade da massa):
Fermento seco activo (pelas discussões no grupo, a quantidade ideal deverá rondar um total de 11 g)

1/3 chávena Água, morna
1/3 chávena Leite, morno
3 3/4 chávena Farinha de trigo
2 c. chá de Sal
3 Ovos grandes, à temperatura ambiente
1/4 chávena Açúcar
340g Manteiga sem sal, à temperatura ambiente mas um pouco firme


Colocar o fermento, a água e o leite na taça da batedeira e, usando uma colher de pau, mexer até o fermento dissolver. Adicionar a farinha e o sal e colocar a batedeira com o gancho de massa. Convém cobrir com uma toalha de cozinha para a farinha não sair para fora. Ligar a batedeira numa velocidade bastante reduzida, e se for preciso ir parando a batedeira até a farinha estar misturada; depois pode-se retirar a toalha e aumentar a velocidade para um nível médio/baixo durante 1 a 2 minutos, até a farinha estar bem incorporada. Nesta altura, a estará massa bastante seca, sendo conveniente ir rapando a taça com uma espátula para a massa ficar toda homogénea. Baixa-se a velocidade e adicionam-se os ovos, de seguida adiciona-se o açúcar. Aumentar a velocidade do misturador para médio e bater por cerca de 3 minutos, até que, a massa forme uma bola. Reduzir a velocidade ao ponto baixo e adicione a manteiga em pequenos pedaços (mais ou menos do tamanho de 2 colheres de sopa) batendo até que cada pedaço se incorpore na massa; só nessa altura se introduz o próximo pedaço, até acabar a manteiga. Nesta altura a massa fica muito macia (com uma consistência molinha). Aumentar a velocidade para médio-alto e continuar a bater até a massa despegue dos lados da taça, durante cerca de 10 minutos. Mudar a massa para uma taça limpa, cobrir com película aderente e deixar à temperatura ambiente até dobrar o tamanho, o que será entre 40 a 60 minutos, dependendo da temperatura ambiente.

Tirar a massa da taça, levantando-a em torno das laterais e deixando-a cair com uma pancada ligeira na taça. Levar novamente à taça, cobrir com película aderente e colocar no frigorífico. Golpear a massa para baixo na taça a cada 30 minutos até que ela pare de crescer, o que demora cerca de 2 horas. De seguida deixar a massa tapada no frigorífico durante a noite.


Outras participações:



5 de abril de 2015

Coroa de Maçã e Amêndoa

Embora já fora de tempo para poder servir como sugestão para a mesa da Páscoa deste ano, não quis deixar de partilhar um dos bolinhos que marcou presença na minha mesa.
Uma coroa muito fresca e perfumada, com um toque levemente cítrico, que me cativou.
Como nota, gostaria só de ter sentido ainda mais creme de maçã.




Massa (para uma coroa pequena):
250g de Farinha T55
90g de Farinha T65
5,5g de Fermento seco
30g de Açúcar
1 Ovo
30g de Margarina, à temperatura ambiente, cortada em cubos pequenos
120ml de Leite, morno
Recheio:
450g de Maçãs
5 c. sopa de Açúcar
1 Limão, sumo e raspa
3 c. sopa de Amêndoa granulada

1 c. sopa de leite morna para pincelar
Açúcar em pó e Canela q.b. para polvilhar

Preparação:
Dissolva o fermento no leite morno. Junte as farinhas, o açúcar, e a margarina, e o ovo, e amasse até os ingredientes estarem misturados. Adicione o leite com o fermento e amasse muito bem, durante pelo menos uns 15 minutos. Deixe a massa levedar, de preferência de um dia para o outro, durante a noite.

Descasque as maçãs e retire os caroços, corte em pedaços pequenos e coloque num tacinho. Junte o açúcar, o sumo e a raspa de limão e leve ao lume, baixo, até que a maçã perca grande parte do líquido, e esteja bem macia e cremosa. Retire do lume e com um grafo esmague alguns pedaços maiores que ainda existam. Deixe arrefecer e reserve.

Estenda a massa, numa superfície bem enfarinhada, até obter um rectângulo com cerca de 40x30cm.
Distribua o creme de maçã pela superfície da massa, polvilhe com a amêndoa granulada, e enrole a partir de um dos lados mais compridos. Corte o rolo ao meio no sentido do comprimento, e depois entrelace as duas metades entre si, mantendo a face do corte para cima, e comprima as extremidades. Enrole a trança em caracol, coloque-a num tabuleiro, forrado com papel vegetal ou folha de silicone, tape com um pano, e deixe levedar outra vez, cerca de 30 minutos.

Pincele com o leite morno, e leve ao forno durante cerca de 20 a 30 minutos, até que a massa esteja cozida e douradinha. Não deixe cozer em demasia, senão a massa ficará muito seca.

Depois de fria, polvilhe a coroa com um pouco de açúcar em pó e canela, e sirva.

31 de março de 2015

Filete de Bacalhau com Creme de Couve

Esta foi a primeira vez que comi bacalhau, sem ser de salga.
Gostei....    mas estranhei.
A textura está lá, o sabor está lá.... mas é diferente.
Acho que é claramente uma questão de hábito.

A repetir, claramente.




Ingredientes (2 pessoas):
2 filetes de Bacalhau fresco
1 Couve média
2 Ovos, cozidos
1 c. sopa de Farinha de trigo
Azeite q.b.
Flor de Sal q.b.
Pimenta q.b.

Preparação:
Arranje a couve, separando as folhas e descartando os talos mais grossos, e lave muito bem. Coloque água num tacho, tempere com um pouco de sal, e leve ao lume. Quando levantar fervura coloque as folhas de couve a cozer, cerca de 10 a 15 minutos. Escorra a água e num processador de alimentos ou com uma varinha mágica, reduza a couve a creme. Num tacho coloque um fio de azeite, leve ao lume e deixe aquecer ligeiramente. Junte o creme de couve e a farinha. Envolva muito bem, e deixe cozinhar um pouco, mexendo sempre, até engrossar um pouco. Rectifique os temperos. Reserve quente.
Tempere os filetes de bacalhau com flor de sal e pimenta acabada de moer. Leve a grelhar.
Esmague grosseiramente os ovos com um garfo.
Num prato de servir coloque um pouco de creme de couve, o filete por cima e salpique com o ovo esmagado.
Sirva de imediato.

29 de março de 2015

Bolo de Café com Glacê de Café


Hoje trago um bolo com um perfume e aroma irresistível....café.
Achei que este bolo seria ideal para estrear um dos cake stand que o meu pai fez.
As duas peças foram feitas inteiramente por ele, artesanalmente, com a ajuda de algumas máquinas e ferramentas que ele próprio construiu e idealizou.

Um bolo delícioso numa peça fabulosa.

Obrigado pai.




Ingredientes:
Bolo de Café
6 Ovos
200g de Açúcar
250g de Farinha
100g de Manteiga, derretida
1 c. chá de fermento químico
1 c. sopa de Café solúvel
2 c. sopa de Água
50g de Amêndoas, grosseiramente partidas
50g de Nozes, grosseiramente partidas
Glacê de Café
15ml de Café de máquina
¼ c. chá de Café em Pó instantâneo
½ c. sopa de Leite
130g de Açúcar em pó

50g de mistura de nozes e amêndoas , grosseiramente partidas, para polvilhar por cima do glacê - opcional.


Preparação:
Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Unte uma forma com margarina e polvilhe com farinha.
Numa tigela, bata muito bem os ovos com o açúcar. Junte a manteiga derretida e bata mais um pouco. Acrescente aos poucos a farinha com o fermento, envolvendo bem, até obter uma massa homogénea. Num copinho junte a água com o café solúvel e adicione à massa. Junte as amêndoas e as nozes e envolva.
Deite a massa na forma e leve ao forno por cerca de 40 minutos, ou até que esteja cozido. (Verifique se o bolo está cozido, espetando um palito no centro, se sair limpo está pronto.)
Desenforme o bolo e deixe arrefecer sobre uma rede.
Para o glacê, misture o café de máquina com o café em pó e o leite. Adicione o açúcar em pó e bata até que esteja homogéneo.
Deite o glacê sobre o bolo frio, e sirva.

Fonte do Glacê – Flagrante Delícia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...